Back to Home

Biblioteca

 Destaques da Semana

Cuidados Paliativos/ Anestesia/ Cardiologia/ Cirurgia Geral/ Cuidados Perioperatórios/ Farmácia Clínica/ Fisioterapia/ Hematologia/ Infectologia/ Medicina Psicossomática/ Nefrologia/ Neurologia/ Oncologia/ Ortopedia/ Pediatria/ Pneumologia/ Terapia Intensiva/ Transplantes/ Tratamento da Dor/ Urgências e Emergências

Metas Internacionais de Segurança do Paciente

Joint Commission International
Identificação dos pacientes

Meta 1 - Identificar corretamente os pacientes

Os pacientes são identificados sempre pelos dois identificadores: nome completo e número de prontuário.
Os pacientes têm sua identificação conferida antes de todos os procedimentos, tratamentos, exames, cirurgias, anestesias, administração de medicamentos por qualquer via, instalação de sangue e hemoderivados.
Importante: Atenção para a legibilidade da pulseira de identificação!


Meta 2Melhorar a eficácia da comunicação

Meta 2 – Melhorar a eficácia da comunicação

Ordem Verbal e Telefônica: a prescrição completa é registrada no prontuário do paciente, lida pelo receptor e confirmada pelo prescritor. Importante: O médico prescritor deverá estar ativo no cadastro e validar a prescrição em 24horas. Em situações de emergência, antes da administração do medicamento, repetir para confirmação do médico solicitante nome do fármaco, dose e via.

Resultados de Pânico: o resultado de pânico é registrado no prontuário do paciente, lido pelo receptor e confirmado pelo indivíduo que informou o resultado.

Passagem de Plantão: Novo Padrão - um conteúdo crítico padronizado é comunicado nas transferências do paciente, entre turnos e entre áreas na Instituição. Esta informação deverá ser registrada em prontuário.

Meta 3Segurança de medicamentos de alta vigilância

Meta 3 – Melhorar a segurança de medicamentos de alta vigilância

Medicamentos de alta vigilância na SBIBAE: anticoagulantes, insulinas, eletrólitos de alta concentração e morfinas.

Barreiras de segurança:
  • Armazenados em locais seguros
  • Identificação com etiquetas vermelhas
  • Alerta na prescrição médica impressa MED. RISCO – DILUIR (eletrólitos de alta concentração)
  • Disponibilização de soluções padronizadas de eletrólitos
  • Dupla checagem na administração de heparina endovenosa e insulinas
  • Protocolo de Heparina
  • Protocolo de Tratamento de Hiperglicemia

Importante: Novo Padrão - Medicamentos com nomes e/ou sons parecidos são agora considerados como medicamentos de alta vigilância. As barreiras de segurança estão nos processos de armazenamento e prescrição.

Meta 4Garantia de segurança

Meta 4 – Garantir o local correto, o procedimento correto e a cirurgia no paciente correto

Estratégias para garantia de segurança em cirurgias e procedimentos invasivos na SBIBAE:

  • Identificação do local de intervenção, com um alvo Alvo ou Alvo antes da administração do pré-anestésico
  • Documentação completa:
    • Anamnese e exame físico
    • Avaliação Inicial de Enfermagem
    • Avaliação pré-anestésica completa
    • Consentimentos Cirúrgico e Anestésico completos e assinados
    • Exames complementares
    • Algoritmo de TEV (tromboembolismo venoso) preenchido pela equipe médica
  • Checklist Cirúrgico
  • Check in
  • Time out
  • Check out

Importante: Nos casos de preparo da pele a exemplo de tricotomia, degermação do sítio cirúrgico devem ser realizados após a demarcação cirúrgica!

Meta 5Reduzir o risco de infecções

Meta 5 – Reduzir o risco de infecções associadas a cuidados médicos

O gel alcoólico é o produto de escolha para a higiene das mãos na SBIBAE, se não houver sujidade nas mãos.

Os cincos momentos essenciais para a higienização das mãos são:
  • 1. Antes do contato com o paciente
  • 2. Antes da realização de procedimento
  • 3. Após a exposição a fluidos corporais
  • 4. Após contato com o paciente
  • 5. Após contato com as áreas próximas ao paciente

Importante: o produto alcoólico deverá ser friccionado em todas as superfícies das mãos por 20 a 30 segundos!

Meta 6Reduzir o risco de danos aos pacientes

Meta 6 – Reduzir o risco de danos aos pacientes resultantes de quedas

Pacientes Internos:

  • Avaliação do Risco para Queda
  • Uso de pulseira laranja e identificação do prontuário com etiqueta Risco de Queda
  • Registro no Plano Educacional

Importante: Para pacientes de Alto Risco de Queda: Rondas a cada 2 horas, auxiliar e acompanhar o paciente ao banheiro e sinalizar na placa ou quadro de informações.

Pacientes Externos:

  • Adoção de Cuidados Universais para Prevenção de Queda: ambiente limpo, seco e organizado, área de deambulação livre, iluminação adequada, maca/cama baixa e travada, grades elevadas, orientar e/ou auxiliar no trajeto sempre que necessário, orientar localização dos banheiros e funcionamento de móveis e equipamentos.

Compartilhe